"Há quem diga que todas as noites são de sonhos...O que importa mesmo não são as noites em si, são os sonhos. Sonhos que sonhamos sempre...em todos os lugares, em todas as épocas do ano, em todas as cidades, dormindo ou acordado." (Shakespeare)

terça-feira, 24 de julho de 2012

Máquina de costura em patchwork.

Acho que já falei de quanto gosto de coisas antigas, artigos vintage, "lixos" que encontro na rua. Essa máquina antiguinha, enferrujada, como eu sempre digo, pedindo carinho. Não pensei duas vezes, pesava um bocado e caminhei com ela por 11 quarteirões. Em alguns momento quase fraquejei, pensei em deixá-la, afinal pesava muuuuito!. Bem, isto já está parecendo novela mexicana, mas afinal consegui chegar em casa, com dor nos braços, é verdade, mas com aquela satisfação de "consegui".


Depois de uma boa lixada , passei um anti ferrugem.


Depois de pintá-la de branco comecei a colar os retalhinhos de tecido.

E foi ficando assim.

Cola diluída em água para impermeabilizar.

Me esqueci de dizer que pintei as laterais com rosa.

No meio da natureza, como gosto de fotografar.


E sobre a minha cômoda, na sala, rodeada dos meus objetos queridos.

Mil ideias me vieram à cabeça sobre como iria transformá-la, até que pensei em todos os tecidos e paninhos que ela já teria costurado, quantos vestidos de debutantes ou de casamento, quantos sonhos em tantos vestidos. Ou também podia ter sido propriedade de um alfaiate, desses sérios, que costuravam muitos ternos cinzentos e sem muita cor. E quis fazer uma homenagem a todos os trabalhos lindos que essa maquininha deve ter feito, e a todas as mãos habilidosas que nela trabalharam. Não é o meu caso, é claro, porque acho que já comentei antes que não sou muito amiga das costuras. Minha praia são as tintas e os pincéis, por mais que admire muito um trabalho de costura.
Assim ficou minha máquina, meu achado em uma calçada sombria, objeto pesado mas que ficou até mais leve com esse patchwork.
E viva a ALEGRIA!

6 comentários:

Renata disse...

Oi Sylvia!

Ai que lindeza!!!!!
Menina, isso é jóia pura! Imagino o que deve ter sido carragá-la por 11 quarteirões...ufa, essas máquinas são bem pesadas! (gostei do lance da novela mexicana!rsrs).
Com certeza você deve estar orgulhosa, ficou demais!
Pena que você não tem botão do face, eu adoraria compartilhar!

Beijos, Renata
palpitandolemtudo

Dani Zanelato disse...

Olá Sylvia, ficou linda! Você foi bem corajosa, eu teria deixado ela na cor natural mesmo.
beijos!
Dani

Frau M. disse...

Eu faria o mesmo... belíssima máquina!

Cris - www.artesanatodelacres.blogspot.com disse...

Guria...adorei esta ideia...afinal amo cores...parabens.
Obrigado pela visita no meu cantinho.
Bjao
Cris

Cris - www.artesanatodelacres.blogspot.com disse...

Voltei pra dizer que dei uma fuxicada nas tuas reciclagens e claro que amei tudo que vi...parabens pelo teu belo trabalho.
Cris

Veronica Kraemer disse...

Syl querida, ficou lindaaaaaa demais, to apaixonada aqui!!!
Que trabalho maravilhoso! Parabéns!
Beijossssssss
Vero